segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

"FELIZ ANO NOVO"

Desejo para todas as seguidoras e seguidores
do rima blog, eu te dou uma flor,  Feliz Ano Novo.

Tudo o que na vida nos apoquenta!
Deixamos no o ano velho as incertezas
Bem como tudo o que não nos contenta
Por que não precisamos das tristezas.
A sorrir digamos ao novo ano bom dia
Que venha atulhado de solidariedade
A transbordar de esperança e alegria
De saúde, paz, amor e tranquilidade!
(Eduardo Maria Nunes)

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

"PAZ E UNIÃO"

Desejo Feliz Natal!
Para todas as amigas e amigos
seguidores do rima blog eu te dou uma flor.

 A fé, é a luz que alumia!
O caminho da esperança
Não sendo fantasia
Paz e união
Sem extravagância
Em especial ocasião
Escrevo estas palavras
O mundo é fantástico
Sorrisos sem lágrimas
Verdadeiro não mágico
De noite e de dia
Amor, carinho e paixão
Natal é alegria!
(Eduardo Maria Nunes)

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

"AGRADECIMENTO"

É um mimo especial
Do Brasil veio ter comigo
Chegou hoje a Portugal.

No seu habitat natural!
Nasce a planta da semente
Sei que chegou sorridente
Viajou em avião especial.

Com o passaporte perfumado.
Presente enviado por Gracita
Durante a viagem bem sentado
Para não amarrotar a sua roupita.

Chegou bem humorado
Segundos depois reclamou
Tinha o corpo resfriado
O calor no Brasil deixou.

Com  a Gracita ficou!..
 Não tinha onde o mandar
Por que não se lembrou
Ou talvez por dele precisar.

Não faz mal.
Roupita quente já tem
Para ti Gracita desejo Feliz Natal
E próspero ano novo também!

O melhor que a gente tem
Obrigado amiga Gracita
A amizade virtual também
É uma prenda bem bonita!
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

"LEMBRANÇA DE NATAL"

Recebido com carinho
Porque, o bem merece
Receba um beijinho.

Este mimo de boas festas,
De importante significado
Folhas Flores e Sutilezas
 O meu sincero obrigado.

Será sempre lembrado.
 Enquanto, aqui continuo
Tudo o que me é desejado
De igual modo retribuo
Amiga Marilene obrigado!
(Eduardo Maria Nunes)

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

"CARGA LEVE, LONGE PESA"

A uma semana do Natal!
A duas do fim  do ano
É sempre cedo afinal
Para se festejar o engano.

Ao Natal não me refiro.
Mas, sim ao fim do ano com certeza
Porque sei e acredito
Que o futuro vai trazer mais pobreza.

Esta é a minha maneira de pensar!
Correr para o abismo, que chatice
Porque nada estou a inventar
Nem a imaginar o que não existe!
(Eduardo Maria Nunes)

sábado, 14 de dezembro de 2013

"NATAL, AMOR E PAZ"

"NATAL, AMOR E PAZ
Nas palhas deitada, deu à luz
Trouxe ao mundo alegria
Nasceu Menino Jesus
Filho da Virgem Maria.
Ansiosas esperam as crianças!
Papai Noel, descendo pela chaminé
Os presentes são lembranças
Noite de Natal, de esperança e fé
Ajudais os aflitos
A cada um dando a mão
Com alegria e sorrisos
Paz e amor no coração!
(Eduardo Maria Nunes)

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

"AMIGAS E AMIGOS, OBRIGADO"

http://www.cafeentreamigos.com/
Pelo sucesso alcançado!
Porque são merecedores
Pelo vosso carinho obrigado
Digo a todas/os seguidores.
DO
CAFÉ ENTRE AMIGOS
Patrícia Galis, em seu espaço
Na blogosfera estamos unidos
A todos o meu sincero obrigado.
Alegria sem limites...
Estou contente por isso 
Entre outros é um deles!
Nas boas intenções acredito.

Das pessoas que elegeram.
O rima blog eu te dou uma flor
Lá sabem porque o fizeram
Não sei se será merecedor!

Na qualidade de organizador
Desse simples espaço
Agradeço de coração o louvor
Que, generosamente, lhe foi dado.
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

"CADA TOLO COM A SUA MANIA"

"Cada tolo com sua mania"
Não sei por quanto tempo irei ficar
Teimar, problemas não resolveria
Não acredito sem asas poder voar
Penso ter chegado onde deveria.

Neste mundo a vaguear...
Desconhecendo qual o destino
 Para no obstáculo não tropeçar
Tento não perder o tino.

Como era recordando...
No meu tempo de menino
Até fico triste me lembrando
Como será o fim do destino!

Os soberbos fazem a guerra.
 Desconhecendo o resultado
Porque tudo nasce da terra
Em terra será transformado!
(Eduardo Maria Nunes)

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

"DEVAGAR SE VAI AO LONGE"

De nada serve tanto correr!
Não tenho pressa de chegar
Para mais distância percorrer
Tenho calma...vou devagar.

Nesta vida tudo acontece.
Quando tropeça no obstáculo
No fim da corrida se apercebe
Porque andou tão apressado!

  Foi assim mesmo que percebi.
Sem pressa longe se pode chegar
Devagar cheguei depressa até aqui
 A correr assim não devo continuar!
(Eduardo Maria Nunes)

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

"A LAREIRA"

Desejo louco!...
Consumado prazer
Mais vale pouco
Do que nada ter.

 Bate a chuva na parede,
Precipitada cai no chão 
No quarto um vil catre
Sopra o vento na janela
Duas almofadas um colchão
E dois lençóis de flanela.

  Na cozinha um fogão,
Uma panela com água a ferver
Na quente companheira
Está a lenha a arder
 Na sala uma lareira
Para me aquecer!
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

"EM BUSCA DA LIBERDADE"

Amizades não isenta!
Tem princípio e tem fim
Enquanto dura contenta
Quisera o destino assim.

Em busca da liberdade,
Voava como um passarinho
Levava no coração a felicidade
Dentro do peito amor e carinho

Na terra a paisagem colorida
  Flores perfumadas de amizade
Nos lábios sorrisos de alegria
 Não resiste à tentação a vontade.

Beijos no rosto recebia
Abraços bem apertados
 A percorrer o corpo sentia
Desejos acalorados!
(Eduardo Maria Nunes)
Gracita diz:
Nos lábios um sorriso cativante
de felicidade plena e contagiante
nos braços da instigante liberdade
deixo voar para além mar meu pensamento
estico os braços da amizade
e com saudade faço um forte laço
e amarro com ternura nossa sincera amizade.
http://gracitamensagens.blogspot.pt/
Fernanda Oliveira diz:
A amizade sincera o amor nos revela.
Num belo sorriso, num abraço infinito
Ter sua amizade é algo especial para mim
A amizade sincera nos traz alegria, nos contagia
Nos traz vida, compartilha magia
A amizade sincera faz brotar o amor no coração,
nos dá uma outra visão
Por isso lhe digo meu amigo
Nossa amizade sincera nunca terá fim!
http://nandamusicpoesia.blogspot.pt/
Carmen Lúcia diz:
Amizade chega de repente,
mesmo vinda de um lugar tão distante.
Atravessa o mar e se instala bem devagar.
É muito bom termos amigos que mesmo estando além mar,
deixam sempre mimos em doces poetar.
http://mamymilu.blogspot.pt/
Lua Singular diz:
Amizade é coisa séria
É comprometimento mútuo
Lealdade e bom sentimento
É saber não pedir nada em troca

A amizade quando é verdadeira
Atravessa uma enorme fronteira
Passa pelo fio do telefone
Ou um e-mal de solidariedade

Um amigo verdadeiro nunca trai
Se traiu não cumpriu o pacto
Era apenas um feio espectro
Que passou na sua vida por aí
http://luasingular.blogspot.pt/
Eduardo diz
Palavras escritas pelo Eduardo.
Não sei como agradecer
Tanto carinho disponibilizado
Nunca as irei esquecer
Escritas em papel timbrado
Sinceras podem querer
Nunca pensadas ao acaso
Simples fáceis de ler
Amigas, o meu sincero obrigado!

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

"QUEIXUME SIMPLES"

Queixume simples, direi poema de amor...
 Apreciador da poesia escrita pela autora
 Em sua homenagem como amigo virtual,
 Coloquei aqui no rima blog eu te dou uma flor!

O corpo acorda
no despertar do pensamento.

A pele arrepia-se-me
na saudade do teu toque.

A mente alucina
na loucura de te imaginar.

És vício gostoso,
dependência voluntária.

Ouve o queixume simples
de apetites esfaimados.

Vem saciar minha fome
em volúpias gourmet.

Suaviza minha pele, 
entorpece meu corpo,
cura minha mente!

sábado, 30 de novembro de 2013

"NUM PAPEL AMARROTADO"

De repente aparece!
De surpresa sem avisar
Não se conquista acontece
O amor em qualquer lugar.

Caminhar contra a vontade,
Não vale a pena  em frente seguir 
Amor sem prazer não é felicidade
Sem alegria morre, não evoluir.

Maldade sem fronteiras,
Causa de grandes dissabores
Desagradáveis brincadeiras
Incertezas, falsos amores.

Porque tudo vale nesta vida,
De tanta propositada maldade
Morre a flor na planta ressequida
Sofre quem perde uma amizade.

Num papel amarrotado
Quando as li fiquei triste
Deixaste o amor magoado
De quem o coração partiste
Escritas com as tuas lágrimas
Sinto frieza nas tuas palavras
No meu corpo arrepiado!
(Eduardo Maria Nunes)
Sônia Amorim neto diz:
É bem vindo o amor,
sempre chegando de mansinho
e revirando tudo de pernas pro ar,
 é maravilhoso encontrar,
alguém que possamos amar.
Um amor pode até nos deixar,
mas temos a certeza de que outro amor
sempre virá, sem avisar,
de repente e nos fazendo muito contentes!
http://escritorauniversoparalelo.blogspot.pt/
(Lua Singular) diz:
O amor que chega sorrateiro
É lindo, audaz e forasteiro
Vem das bandas de Portugal
Ou vem em sonhos sem igual

Se o amor nos deixar no mar
Choro e vou as ondas abarcar
Sorrateira chega uma bela sereia
Com carinhos,me beija e me clareia
http://luasingular.blogspot.pt/
Gracita diz:
Um coração apaixonado
lágrimas não pode derramar
o amor sempre prazenteiro
nele virá morar

Se nas voltas do destino
esse lindo amor findar
dê a volta no infinito
e ponha outro em seu lugar

Um poeta apaixonado
nunca pode se quedar
teu alimento é o amor
que nos faz devanear.
http://gracitamensagens.blogspot.pt/

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

"NUVEM CINZENTA"

Em segredo permanecia!
Uma nuvem cinzenta voava
Na escuridão da noite não via
O que na vida me esperava.
                                                 
Perdido no pensamento voei
Caminhei com a imaginação
No jardim, numa flor pousei
Adormeci nos braços da ilusão.

Neste mundo desrespeitado
Viajei para além do horizonte
Pelo vento de levante deixado
Liquefeito de nuvem titubeante.

Caídas dos olhos na terra gelada
Das lágrimas e dos desejos nasci
Filho da natureza, mãe vexada
A tormentas intempéries resisti!
(Eduardo Maria Nunes)

domingo, 24 de novembro de 2013

"DO NADA, A CRIAÇÃO"

Bem estar na vida!
 Com alegria e vontade
Viver sentido não faria
Amor sem felicidade.

A vida é ai que mal soa,
A vida que dá vida à vida
Como a nuvem que voa
Pelo vento desvanecida.

Faz da vida desgraçada,
A angústia perturba a vida
Sem esperança mal vivida
A tristeza a vida enfada.

Como folha da árvore caída
No fim da vida amarelada,
Seca, no chão desfalecida
Assim será o fim da vida
Na terra desfeita em nada!
(Eduardo Maria Nunes)

terça-feira, 12 de novembro de 2013

"SEMENTES DE ESPERANÇA"

(FOTO SAPO)
Imaginei a liberdade!
Acreditei em demasia
Na inocência da fantasia
Ignorei a felicidade.

No impossível confiei
Melindrei o coração
Na imaginação voei
Com as asas da ilusão.

O que intentava, encontrei
 Nasci da semente germinada
Sementes de esperança lancei
Na terra de lágrimas molhada!
(Eduardo Maria Nunes)

domingo, 10 de novembro de 2013

"SONHEI NAVEGAR"

Sonhei navegar...
Na ondulação desse corpo
Acordei fiquei louco
Entre duas ondas a boiar.

Forte soprava o vento
Instante se transformaram
Em bóias de salvamento
Do naufrágio me salvaram.

Toda a noite na ondulação
Encalhado até ao amanhecer
Para o equilíbrio se manter
Ao fundo lancei o arpão!
(Eduardo Maria Nunes)
Sônia Amorim diz
Bons sonhos fazem o coração se emocionar,
alegre sempre vamos estar.
 o dia inteiro pra desse sonho se lembrar,
 pelas ondas de alegria suspirar,
viver é muito mais que um bem estar,
se entregar pra valer as delícias do sonhar!!!
http://escritorauniversoparalelo.blogspot.pt/

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

"FUI AO LAGO NIASSA E VOLTEI"

METANGULA - LAGO NIASSA - NORTE DE MOÇAMBIQUE.
Sala de jantar, de noite iluminada pela luz das estrelas (luxo)!
Odemira, concelho!
Freguesia vale de Santiago
Sou, natural do Alentejo
De onde uma viagem iniciei
Fornalhas Velhas aldeia
Fui ao Lago Niassa e voltei
Durou 2 anos e 10 meses
 De onde parti, será que irei
Voltar, pensei tantas vezes
Naveguei por águas agitadas
Passei o cabo das Tormentas
Os olhos húmidos de lágrimas
Recordações, tardes cinzentas
Fui e revim com o testemunho
Na madrugada da noite parida
 Com a saudade no Rio Lunho
 Ficou a juventude perdida!
(Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

"AMAR E SER AMADO"

De manhã, a brilhar, o sol nascia!
Passava, com o vento a brisa perfumada
No campo a paisagem florescia
De felicidade sorria a mulher amada.

Estou aqui, não sei de onde venho
Também não sei e quando para onde irei
Neste mundo, tudo e nada tenho
Com a lembrança e a saudade viverei.

Passageiro sem bagagem
«Desafortunado vagabundo»
Por este mundo de passagem
 Aventureiro sem rumo.

Para mim a maior riqueza é!
Amar e ser amado, humilde e sincero
Sorrir e viver, com esperança e fé
É isso e a apenas só isso, que eu quero!
(Eduardo Maria Nunes)

sábado, 2 de novembro de 2013

"NÃO SE FOGE AO DESTINO"

O ninho da rola, com rolinhos não existia!
Foi uma história de esperança inventada
Por alguém, para eu ficar onde não queria
Com atenção as suas promessas escutava.

Naquele triste dia do mês de Agosto,
Ansiosamente, ouvia falsas palavras
Inocente, descalço, gaiato franzino
Tristeza disfarçada de alegria no rosto
Porque assim quisera que fosse o destino
Os meus olhos se encheram de lágrimas!

 Perdi quando era criança,
O melhor amor da minha vida
  Guardada tenho a lembrança
 Triste, inesperada, despedida.

Ser o que não pretende,
Parecer o que não quer ser
Escondida, do rosto ausente
 O que ainda existe já não ter.

O melhor que temos na vida,
Quando parte, deixa saudade
Contra a vontade ressentida
Para sempre na infinidade.

Da vida o mais sincero amor,
 De mãe afeto pura amizade
Outro não há que evite a dor
 Nem trás de volta a felicidade!
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

"QUEM BEM AMA NÃO ESQUECE"

Vem daí brincar no dia das bruxas!
Vamos juntos com elas voar
Num lugar bem às escuras
Onde ninguém nos incomodar.

Estou para aqui a esbanjar
Sem ser humorista
Com uma bruxinha quero voar
Depois do pôr do sol, à noitinha.

Mas, como eu não acredito
Nenhuma quer saber de mim
Sozinho ando perdido
Sem as flores do meu jardim!
(Eduardo Maria Nunes?

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

"ATILAR"

Famélico de...escrevo!
Com atilar esta poesia
Os versos com que devo
   Deslindar no amor alegria.

Com solércia aprimorei
A realidade à imaginação
Sem diálogo não encontrei
 Amor para o meu coração.

De olhar esgazeado
De façanha aventureiro
Deveras contra exercitado
Tão sã como um pêro!
(Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

"ATROANDO"

Da nascente correr!
Para a fonte água pura
Fresca, pelo vale da loucura
Quero dessa água beber.

 No vale do paraíso fica
 Situada, entre dois montes
A fonte de água cristalina
Duas estrelas brilhantes
Lindos olhos de menina.

 Colina, corpo plagiando
Seios acentuada elevação
Céu azul estrelado vejo
Buliçoso resiste à tentação
Voz inconfundível atroando
Esmero chibante desejo!
(Eduardo Maria Nunes)

sábado, 26 de outubro de 2013

"BOM FIM DE SEMANA"

Bom fim de semana!
com a rolinha e a rolinho
Diz o rolinho para a rolinha
Deixa no teu ninho
Rolinha, dois ovinhos chocar
Vão nascer rolinhos, no teu ninho, 
Com eles vamos voar
Deixa, rolinha, no teu ninho
Meu rolinho pousar!
(Eduardo Maria Nunes)

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

"SONHOS...ILUSÃO"

A saudade aumenta!
Cinzento começa o dia
Recordação apoquenta
Lembranças sem alegria.

Sonhos, são ilusão,
Cai a chuva na terra fria
Da árvore cai folha no chão
  Seca, que antes verde nascia.

Esperança, futuro sombrio,
teimosa, não se ausenta
Dor que tanto atormenta
Sem calor em corpo frio.

Rosto triste sem brilho,
Sofrimento renitente
 Amor distante lugar vazio
Nos lábios sorriso ausente.

De modo algo estranho,
Momento triste ocasião
Pesadelo medonho
Faz sofrer o coração!
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

"PARA ELA OLHEI"

  Na árvore, para ela olhei!
 Quase amadurecida
Eludido, com a fruta sonhei
Não a apanhei por ser proibida.

Quando estivesse madura
Pensei, com esperança voltar
Quem com a sua brandura
 Não sei, se estará a deliciar.

Tímido, calado e quedo
Era sim, quando gaiato
Pelo menos  com jeito
A poderia ter apalpado!
(Eduardo Maria Munes)

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

"FRUTA E LEGUMES"

No supermercado!
Para o refogado a cebola
Desde o alho para a açorda
Tudo, antes, é apalpado.

As pêras abacates
Estão rijas, não maduras
A seguir as cenouras duras
Apalpam os tomates.

As apetitosas romãs
De casca dura são olhadas
As mangas verde amareladas
Cravam as unhas nas maçãs
As bananas apalpadas.

A seguir as hortaliças.
Bem assim como o melão
Não escapam as melancias
Ao indesejável apertão.

É a moda do apalpão
Todos gostam de apalpar
Espremido é o limão
A cebola faz chorar!
(Eduardo Maria Nunes)

sábado, 19 de outubro de 2013

"NÃO TENHO PENAS. SÓ TENHO PENA"

Dó de mim, não tenhas não!
Não tenho penas, só tenho pena
De viver só, sem o teu coração.

Dos teus olhos caídas, lágrimas
Serão todas e não só algumas
Testemunhas das tuas palavras
Não tenho garras, tenho unhas.

Porque a vida é mesmo assim!
Não sou ave, não tenha penas, não
só tenho pena de não ser a essência
da combustão que alimenta
a fogueira que tanto arde
dentro do teu peito sem fim!
(Eduardo Maria Nunes)
Sônia Amorim diz:
Não tenha pena de uma pequena,
que não sabe o quanto amada ainda pode ser,
na alma sincera e ingênua de um poeta
que traz no coração somente sentimentos bons!!
Inspirados estas em amigo poeta,
http://escritorauniversoparalelo.blogspot.pt/

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

"BELEZA"

Nova, gera paixões!...
Pelos olhos muito cobiçada
Não é louca, enlouquece corações
A sorrir adormece, acorda amuada!

Não se deve esconde coisa boa
Em liberdade se deve manter
Não deve andar por aí à toa
À toa não se deixa ver!

Seja ela ou não aventureira
Não precisa de ser maquilhada
Sempre bela de qualquer maneira
Escondida, sempre mais desejada!

Podem viver na mesma morada
Beleza, simpatia, personalidade
Não impeçam de ser galanteada
Deixem-na andar à sua vontade!

Desejo bom fim de semana
Com ela e sempre presente
Coração que não tem, não ama
Saudades do amor ausente!
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

"SOBERBO"

Cai a chuva no outeiro!
A nadar, lá se foi o carcanhol
Corre a água turva no ribeiro
As nuvens escondem o sol.

Animação e paz na floresta
 De mansinho o vento sopra 
Passa por qualquer fresta
Sem a alguém pedir licença
Para entrar nada o estorva
Quando perde a paciência.

 Soberbo a remexer
Perde o tino perturbado
Quando passa desvairado
Tudo faz estremecer.

Pela ravina deslizando
 Foi cair dentro da valeta
 Refrígério procurando
Ficou entalado na greta!
(Eduardo Maria Nunes)

terça-feira, 15 de outubro de 2013

"PESADELO"

A felicidade trazia consolo!
Acordei feliz com a alegria
Um pesadelo tormentoso
causou tamanha gritaria.

Cruel e dolorosa aflição...
Tantas dores no corpo sentia
Acordei estatelado no chão
Olhei para a cama, estava vazia!

Caminhando ao acaso desesperava
Sem saber onde estava, o futuro
De noite, e quando o procurava
Por que não sabia onde morava
Perdido eu, andava no escuro!

Na taberna havia desgarrada
Total silêncio no convento
Na arrefecida madrugada
A Cantarolar, ia correndo.

Sem correr contra a vento
Passarinho, perdigoto, a voar
Deslizou pelo desnivelamento
 Na valeta lamacenta foi pousar!
(Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

"COCHICHOU"

Uma lágrima deixou!
No meu ombro caída
Linda gaiata atrevida!
Em meu ouvido segredou.

Os meus olhos olharam
Para os lindos olhos dela
Por eles logo se apaixonaram
Vestia saia de chita e blusa amarela.

Os lábios dela para os meus sorriram
Sem pedir licença os meus os beijaram
Quando ambos o contacto sentiram
 Unidos, não sei quanto tempo ficaram.

 Terá sido com certeza  do seu agrado
Sem ter feito qualquer reclamação
Pela sua beleza apaixonado
Ficou o meu coração.

Fiz momento não esquecerei
Foi embora sem nada dizer
Por que motivo o fez não sei
Nunca mais a voltei a ver.

Recordo aquele momento
Foi bom enquanto durou
Coração saudades contendo
fiz, sem magoas ficou! 
(Eduardo Maria Nunes)
Sônia Amorim diz:
O momento que mais me fascina na vida,
são os momentos onde a paixão
atrevida nos pega desprevenida,
e ataca o coração,
enchendo de esperança,
os olhos brilhando
como os de uma criança,
coisa boa demais, apaixonar,
olhar nos olhos e se deixar levar!
http://escritorauniversoparalelo.blogspot.pt/

domingo, 13 de outubro de 2013

"BEIJO LIBERTADO"

Algo terá acontecido!
No fundo de uma mina
Um tesouro escondido
De desgosto magoado
Deixou o coração ferido
Certamente apaixonado
Dos lábios d'uma menina
 Loucamente, libertado
Estaria, talvez, perdido
No chão estatelado
Um beijo caído!...
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

"PEZINHO NÃO MAGOOU"

A menina do Sardoal!
Para Setúbal se mudou
Foi visitar Alcácer do Sal
Em Palmela moscatel provou.

Foi à praia de Melides
Nas ondas mergulhou
Disse, Margarida, não grites
Nas rochas, pezinho não magoou.

A Setúbal regressou
Feito de bronze não hafe
Junto à estátua do Bocage
Quieta, para ele a olhar ficou.

Passou pelo Vale da Rosa
Chegou de caneta e papel na mão
Escreveu, em versos poesia e prosa
Junto à fábrica de cimento Secil-Outão
Com um sorriso nos lábios de menina
Se apaixonou o seu coração
Pela cidade Sadina!
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

"VERSOS SEM FIM"

Prisioneira da vontade!
Na liberdade acredita
Na casinha da felicidade
Feliz, apaixonada, habita.

Sonha com a saudade
Do passado permanece
Bem presente na memória
Em poesia, versos escreve
Sobre o amor de sua vida
Num livro, a sua história.

Em versos sem fim
Sonha com o amor
Porque é uma flor
Habita no jardim!
(Eduardo Maria Nunes)
Simone Prado diz:
Talvez a flor se despetalou,dela o espinho
sobrou como marca da sua dor,
Talvez tenha se cansado
talvez não mais acredite no AMOR.
 o perfume, a textura do aveludado do tato...
suas pétalas ao chão despetalado e perdeu até a cor,
ah talvez a rosa tenha desfalecido no enfado.
http://monsoresprado.blogspot.pt/

domingo, 6 de outubro de 2013

"MANTO DE VERDURA"

Para os meus a olhar!
Ao acordar não estavam
Por outros se apaixonaram
 Os meus olhos a sonhar,

 Triste foi aquele dia
 Cair de tristeza deixaram 
Lágrimas na terra fria
Sepultadas lá ficaram.

Para receber o seu amor
Tem um manto de verdura
Nasceu uma linda flor
Junto à sepultura!
(Eduardo Maria Nunes)
Simone Prado diz:
Nossa....que fúnebre...
mas lindo e encantador,
mesmo na sepultura
ainda podemos poetar o amor.
 nem o tempo e nem a distancia
podem te apagar...
sementes são plantadas
pra sempre germinar.
http://monsoresprado.blogspot.pt/

sábado, 5 de outubro de 2013

"FLOR DE OUTONO"

Foi bom, mas acabou!
Tudo nasce, tudo finda
Onde estará, não encontrou
A flor que era tão linda.

Será que ela murchou?
Desapareceu o seu perfume
Talvez, alguém o velou
Porque dela teria ciúme.

Dos olhos deixou cair as lágrimas
Triste chorava, sem vontade de sorrir
Ficaram na terra depositadas
 De suas pétalas gotas de água deixou cair!
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

"ALGUÉM ESPERAVA, POR ALGUÉM QUE NÃO CHEGOU"

Ao ouvir bater na porta!
A correr foi à janela espreitar
Na rua nada viu naquela hora
 Quem teria sido ficou a pensar.

O sol já estava escondido
Começava a noite a escurecer
Das nuvens a água que tinha caído
Na terra, para os regatos a correr.

Em quem pensava não chegou
Todo o dia, por quem esperava
Por que seria que não voltava
Com os seus pensamentos ficou.

Talvez, nunca mais a voltaria a ver
Recordava bons momentos que passou
Com saudades continuava sem saber
Os motivos por que não voltou!
(Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

"ESPREITANDO À JANELA"

Encontrei o mote, espreitando à janela!
Por onde andará ela, essa tal de pura sorte.
Com enorme decote, vestia blusa amarela
Ao corpo aconchegada, nos cabelos laçarote
Linda medalha dourada, tinha no peito dela.
Já não sei como fazer, não encontro explicação
A vida é a coisa mais bela, com ela quero viver
 Dela jamais desejarei a separação.
O azeite está dentro do pote
Para temperar a açorda
 Por mais que pense na cousa
Não encontro essa tal de pura sorte!
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

"CORAÇÃO MAGOADO"

Magoaram o meu coração!
Permanecem no pensamento
Causaram dor e sofrimento
À minha infância perturbação.

Inocente sem maldade
Na mentira acreditei
Contra a minha vontade
Onde não queria ficar fiquei...

Chorei, não sabia onde estava
Mas,tinha a convicção que existia
Porque era criança não entendia
 A separação de quem muito amava.

Também não me foi explicado
Sem esperança, sem alegria,
Sem afeto, me sentia abandonado
Por que estava onde não queria!
(Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

"O LIBERTADOR, A FLOR E O JARDINEIRO"

Fui ao jardim libertar!
A flor, do cativeiro
Deveras furioso a gritar
  Apareceu o jardineiro
Não querendo dialogar...
Eu, disse cala a boca falador
A flor estás a incomodar
Baixa a "bolinha" por favor
Porque a flor estás incomodar...
Sai da sombra jardineiro impostor
Vai  para o sol bronzear a tua crista 
 Porque és Jardineiro trepador
Te alimentas com alpista...
Mais ainda ele se exaltou
Fui embora com a flor na mão
Ele muito furioso lá ficou
A bater com os pés no chão!
(Eduardo Maria Nunes)

sábado, 21 de setembro de 2013

"AS AVENTURAS DO SALTA-POCINHAS"

O salta-pocinhas tropeçou!
Perdeu, dos pés, as alpercatas
Unha do pé, dedo grande encalhou
Deu um trambolhão do caraças.

Queria saltar o rio para o outro lado
Sem preparação física não conseguiu
Então, resolveu mergulhar no lago
Mas, foi na  lagoa que emergiu.

Abraçado a uma rã!
A navegar, o salta-pocinhas
Quando acordou de manhã
Ouviu cacarejar as galinhas.

Pensava que sabia tudo
Andava por todo o lado
A correr para o futuro
Na picada ficou atolado.

Passou um mau pecado
Dos pés até à cabeça
Estava todo enlameado
A chamar pela rabeta.

Estava por ela apaixonado
Sentia falta do seu carinho
Salta-pocinhas pobre coitado
Detido no lamaçal sozinho!
( Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

"PRETÉRITO PERFEITO"

Sentado do cimo dum penedo!
Sem ter com quem falar
A conjugar o pretérito perfeito
No presente do verbo amar.

Tendo sido interrompido
pelo zumbido das asas dum besouro
A voar, fazendo tamanho alarido
Por não ter encontrado o tesouro.

  De repente um estalido
De nada assustador
Quebrado o silêncio
Era lá do sítio
O Prudêncio lavrador.

Era tanta a trabalheira
A lavrar a terra para semear o trigo
Na raiz de uma azinheira
Do arado partiu o bico.

No jardim uma flor
Uma rosa na roseira
A conjugar o verbo do amor
No presente para a vida inteira!
(Eduardo Maria Nunes)
Sônia Amorim diz:
Acordei hoje, com grande alegria,
pensei num amigo bem distante,
que só me traz versos e fantasias,
o meu mundinho cinza ele transformou
em cores com sua magia,
fez um sorriso nos meus lábios brotar,
por pura companhia...como é bom ser lembrada,
 com tanto carinho e poesia,
http://escritorauniversoparalelo.blogspot.pt/

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

"A SOMBRA"

Fui à pesca, não pesquei!...
À sombra de uma árvore adormeci
Por causa do calor acordei
Estava só,  a sombra já a não vi.

Sem de mim se despedir
A sombra se foi embora
Já sem vontade de dormir
A pensar, onde estará ela agora.

Voltei aquele lugar
Para ver se a encontrava
Parado fiquei a olhar
A árvore, já lá não estava.

Terá sido imaginação
Ou sonhar com a tainha
Simplesmente confusão
Porque a sombra era a minha!
(Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

"REFLEXO"

Tanto calor sentindo!
Reflexo intermitente
Corpo desejos oprimindo
Inspirando constantemente
loucamente, prazer sentindo
Desejada explosão iminente.

Desejos satisfeitos permanecer
Corpo, deitado na cama despido
Temperatura elevada abrandecer
Ponto de ebulição concluído...

Beijos enlouquecidos de paixão
Abraços carregados de ternura
 Transmitindo ao corpo vibração
Choque de verdadeira loucura.

Quem amas não esqueces
Olhar os lindos olhos teus
Quem me dera tivesses
Feliz nos braços meus!
(Eduardo Maria Nunes)

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

"SETEMBRO"

Dia treze, sexta-feira!
Dois mil e treze, Setembro
Sem sofrimento vida perfeita
De cabelos brancos ao vento.

A imaginar, estava eu,
A noiva pelo noivo esperar
Na realidade aconteceu 
Vestida de branco no altar.

Em lua de mel partiram
De charrete sem capota
Dos amigos se despediram
Aos beijinhos sem chacota.

Por lá, ainda, andarão
Felizes aos beijinhos
Com amor no coração
Um ao outro garradinhos!
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

"GRATIFICANTE"

Eia, pois, ó amor amigo!..
Nosso destino seguiremos
Para onde fores irei contigo
De mãos dadas  caminharemos.

Eu e tu,  na nossa mocidade
Padecemos igual dor;
Alcançamos a felicidade
Juntos continuaremos, amor!

Leva-me, ó amor contigo
Preso aos braços teus
Aqui ser amor, Deus nos fez
Diz-me com desejos outra vez
Por favor, beija os lábios meus.

Das mais preciosas valias,
Gratificante, presente de Deus
Faz partes das minhas alegrias
poder beijar os lábios teus!
(Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

"ASSIM COMEÇAVA O NOVO DIA"

A imaginação acordou!
Disse, bom  dia magia
O caracol à janela espreitou
Uma fera sem pressa corria
Em cima de uma pedra
Um figo da figueira caia
Coitado, todo se esborraçou...
O galo cantava no poleiro
A pastar no campo, a vaca mugia
Grunhia o porco no lameiro
Assim começava novo dia...
O pastor encostado ao cajado
O cão volta a meia latia
As ovelhas pastavam no prado
Sem nuvens no céu se via
  Na lezíria o sol brilhante...
O passarinho lá no monte
Água fresca na fonte bebia
Na cidade a poluição
Torna vida doentia...
Reclama a população
Já antes ninguém a ouvia...
Suavemente, soprava o vento
Nas folhas das árvores zumbia
Ao passar o avião barulhento
Um bando de pardais se assustou.
Com medo fugia a raposa
Com azeite e um dente de alho
O camponês, comia a açorda
Antes de ir para o trabalho!
(Eduardo Maria Nunes)

sábado, 7 de setembro de 2013

"NADA DISTO INVENTEI"

Da cama me levantei!..
Nela não me fui sentar
Na bacia a cara lavei
Fui para o campo trabalhar!

Na terra molhada encontrei
O que não imaginava
Quando à noite para casa voltei
Tudo no seu lugar, ainda, estava!

No campo...vida sadia
À chuva, ao frio e ao calor
 Trabalho árduo, todo o dia
Saúde e paz ausenta a dor!

Com amor se trabalha a terra
Homens sem abrigo e sem sorte
Sem poder fugir da morte
Contrariado fui para a guerra!

As mágoas não se esquecem
Porque ainda as não afastei
São coisas que acontecem
Nada disto inventei!

Porque gosto das coisas belas
Numa noite bem dormida
Porque me acompanham elas
Para o resto da minha vida!
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

"VEREDA DO DESTINO"

(Imagem Google)

Pela vereda do destino
Que antes tinha imaginado
Ouvi o toque de um violino
Ao lado corria água no regato.

O sol lá muito longe brilhava
Afastado de uma nuvem passageira
No céu, uma pomba branca voava
Levava no bico um raminho de oliveira.

Continuou a voar
para onde, não fiquei sabendo
Continuei pela vereda a caminhar
Suavemente, soprava o vento.

No meio do arvoredo ouvi cantar
Nas folhas, o zumbido do vento 
No regato as rãs a coaxar
A beber água estava um jumento.

No meio do rochedo
Junto a uma esteva florida
De ser pisada estava com medo
Uma folha no chão caída!
(Eduardo Maria Nunes)

terça-feira, 3 de setembro de 2013

"PROMETI VOLTAR, AQUI ESTOU"

Fui passar uns dias ao Alentejo
A preguiça tomou conta de mim
Porque ser preguiçoso não quero
Estou de regresso ao meu jardim!

Não as posso deixar inseguras
São tão lindas de várias cores
Antes que elas fiquem murchas
Vou regar as minhas flores!

Sempre as quero ver floridas
Voltei para de todas tratar
São de todas as mais queridas
 Nunca as irei abandonar!
(Eduardo Maria Nunes)

domingo, 11 de agosto de 2013

"NO REBENTO DO AMOR"

Carente espaço vazio!...
De tristeza se enche
Navegam os barcos no rio
Saudades o coração sente

Clara das nuvens caída
 Na terra barrenta, tanta
Água pura por Deus benzida
Bebida na Fonte Santa.

De preconceitos despida
Deitada na cama a sonhar
Debaixo do seu vestido de chita
A beleza com ela morar.

O jardineiro dela cuidar
Dentro de um canteiro
No jardim uma flor
Se o enxerto pegar
No rebento do amor.

Junto ao coração coloca a cabeça
Nos braços dela adormece
O amor nunca sossega
Mesmo a dormir mexe...mexe!
(Eduardo Maria Nunes)

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

"GOTÍCULAS"

Causado pelo desleixo
Tropecei cai no chão
Por causa de um sexo
No nariz fiz um arranhão.

A caminho do restaurante
Pus o pé em cima duma formiga
Fez uma barulheira gritante
Tive pena dela coitadita.

 Se queixava de uma perna
As outras muito aflitas
Corri à farmácia e trouxera
De álcool umas gotículas.

Tenho que ter mais cuidado
Para não bater com a penca
Depois do curativo realizado
Foi perdoado da encrenca!
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

" A LUA E AS ESTRELAS"

Uma rosa no jardim...nascida na roseira!
O sol desapareceu, o dia  não chegou ao fim
A lua e as estrelas...tudo criado pela natureza
A brilhar no céu continuarão, acredito que sim
Até o sol no dia seguinte dar à terra claridade.
De tantas coisas boas que há no mundo...
Impedidas de serem usufruídas pela ruindade
Em vez de activo está ficando moribundo,
 Pela ganância, não assumem responsabilidades
  Da tristeza continuidade...desconhecido futuro
 Caminhar no escuro, aumentam as dificuldades!
(Eduardo Maria Nunes)

domingo, 4 de agosto de 2013

"CALOR HUMANO"

Escrevi estas palavras
Não sou poeta nem escritor
Quem chora por amor
Dos olhos deita lágrimas!

Sincero, toda a vida desejado
Nos lábios um beijo gostoso
Calor humano, abraço apertado
Amor sincero verdadeiro tesouro!

Há no mundo tanta confusão
 Não consegue a paixão controlar
Mas com a inércia força da razão
Tudo o amor, no mundo, faz girar!

Do que tudo tem na vida mais valor
Amizade, saúde, paz e liberdade
Não há alegria sem amor
Sem amor não há felicidade!
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

"GUIADO PELO DESTINO"

 Uma visão estranha
Surgiu na noite escura
De certa maneira risonha
Trazia carinho e ternura.

Rigorosamente, bem sucedida
De composição alta milagrosa
Calor que aquece sem lenha ardida
Contentamento da vida harmoniosa.

Guiado pelo destino, nunca perdido
Pelas coisas boas que a vida tem
Sem desprezo neste mundo vivido
Olhai o que esperança contém!

Ansiosamente,  se aguarda
Com esperança e fé, quero beber
Da nascente para a fonte a correr
 Entre rochedos, água pura clareada!
(Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 29 de julho de 2013

"LAMENTOS ESPALHANDO

Aventureiro afamado
Canta o fado toca viola
Passarinho condenado
Prisioneiro na gaiola.
A riscada aventura
De tanto quisera ter
Não deu atenção à ternura
 Com ela não quer conviver
Triste, só e abandonado.
De tanta riqueza tinha
Nada tem na sacola
Sem trigo, não há farinha.
Iludido, só pensa na rambóia
Lamentos espalhando
 De esperança à noitinha.
Brandas, iras suspiros magoados
Acontecimentos do passado
Vigorante saudade crente
Do amor desperdiçado
Que a sua alma sente!
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 24 de julho de 2013

"FOLHA CAÍDA"

Saudades tantas tenho!
Das coisas boas da vida
De livre vontade venho
Procurar a mocidade perdida
Foi embora sem dizer...
 Onde estará escondida
Nada mais há a fazer
A vida passa a correr
É como folha caída...
Quando passo e vejo
No jardim planta florida
Tudo o que mais desejo
Saúde e paz na vida...
Muitas outras coisas belas
Que passam despercebidas
Por avenidas, ruas e vielas 
Dos olhares protegidas...
O passado nunca esquece
Mesmo sabendo que não volta
No verão mais o sol aquece
No estendal seca a roupa
Com imaginação o poeta escreve!
(Eduardo Maria Nunes)
rosa branca disse:
Folha caída ao vento
A pairar com desprimor
É como um ai um lamento
Na alma do sofredor

Mas quando está caída
Tão velha e enrolada
É folha que anda perdida
Sem alma na madrugada.
http://roseira-branca.blogspot.pt/

Oferecido por Cristi@ne

Image and video hosting by TinyPic"

Oferta de Sandra Veneziani

Image and video hosting by TinyPic"