segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

"P'RA VOCÊ, COM CARINHO"

Mandamos o ano velho embora!
 o Ano Novo, seja muito bem vindo
para quem a não tem sem demora
traga paz carinho e amor sorrindo.

Eu aqui fico a olhar,
para o céu na noite escura
vendo as estrelas a brilhar
no meio delas vejo a Lua.

Fiquei sem saber o que fazer,
nas suas mãos não a posso colocar
deixo-a aqui para quem a quiser ver
fui ao jardim essa Rosa apanhar
para com carinho, a oferecer
p'ra você, faz favor de a levar!
(Edumanes)

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

"JUNTO DO CORAÇÃO"

Não de água tinha sede!
tinha fome não de pão
recordando onde esteve
com uma rosa na sua mão.
Na cama estrebuchar,
deixou cair a rosa no chão
não sabia como a apanhar
sem luz,  havia escuridão.
Na esperança derramou,
duas lágrimas de solidão
 dos olhos, caídas deixou
sem mágoas no coração.
Foi num sonho a penas,
um momento de emoção
abriu as portas e as janelas
de repente viu um clarão.
Iluminando os olhos dela
vestia transparente roupão
protegendo seu belo corpo
apanhou a rosa do chão.
 Mimava simpatia no rosto,
nos lábios sorrisos de paixão
com amor e carinho a colocou
no peito junto do coração!
(Eduardo Maria Nunes)

sábado, 15 de novembro de 2014

"PÉTALA"

Estava caída no chão!
duma rosa desabrochada
triste chorava de solidão
uma pétala perfumada.

Quem passava não a via,
naquele lamentável estado
amachucada de dores sofria
com o coração magoado.

 Na terra molhada e fria,
não resistiu temperatura
da mãe rosa, antes, caída
 uma pétala na sepultura!
(Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

"DIALOGO"

Outro remédio, porque o não tenho!
senão à tua frente ter que me vergar
de livre e espontânea vontade venho
 o Cravo, Rosa quero contigo dialogar.

havia mais saúde, paz, amor e alegria,
se desgraças não houvessem no mundo
mais vale perder um minuto na vida
do que perder a vida num minuto.

Tudo o que a natureza já criou e cria,
se o vento não tivesse levado o que já levou
 no mundo pão para comer toda a gente teria
porque Deus para todos o mundo criou!
(Eduardo Maria Nunes)

domingo, 26 de outubro de 2014

"CESTO DE VIME"

(Imagem Google)
 O dia de hoje já se está a ir! 
 haja em todos rostos alegria
encantadores lábios a sorrir
 trazem-nos amanhã novo dia.

Não custa nada imaginar!
mas nem toda a gente vive feliz
com o mundo a querer desabar
 a felicidade está por um triz!

Seja corajosa/o, não desanime,
tente, a esperança é a última a morrer
para que serve, então, o cesto de vime
se nada tem para dentro dele meter!

 Não será bem assim!
 tem sim uma linda flor
 que foi colher ao jardim
  com carinho e muito amor.
  (Eduardo Maria Nunes)

sábado, 27 de setembro de 2014

"ELE E ELA"

(Imagem Google)
Não há mais lágrimas de amargura!
dos olhos deixaram de cair no chão
felizes adormeceram com a ternura
no colo do amor, amante da paixão!

Apalpando a sua pele macia!
na cama deitados, debaixo da colcha
com as asas frenético zumbido fazia
dentro do quarto uma mosca.

A maldita incomodava,
não os deixava sossegar
insatisfeita, a garota rabeava
 mais fazia a cama abanar!

Agarrados ao colchão!
 dois corpos se entrelaçaram
com amor e verdadeira paixão
  os seus lábios se beijaram!

Nunca mais aconteceu,
do quarto, foi abrir a janela
a zoar a mosca desapareceu
juntos para sempre ele e ela!
(Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

"POEJO RIMA COM DESEJO"

(Imagem Google)
Folha verde do poejo,
 faz-se o doce mel da flor
 louco, escaldante, beijo
faz transbordar o vapor

Se poejo rima com desejo,
doce licor, desejos de amor
 a ferver se recebe um beijo
 nos lábios se sente o calor.

Por amor lágrimas chora?
no jardim perfumada flor
sabe bem a qualquer hora
 de poejo, especial licor,

Com um cálice se embriagaram,
tropeçaram numa tranquitana
 abraçados aos beijinhos acordaram
ele e ela, deitados na cama!
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

"RECORDADA COM SAUDADE"

(Imagem Google)
Calor mais não sente!
na terra ela desapareceu
esta linda flor da semente
da planta na terra nasceu.

O seu fim foi fatal,
perdida na terra ficou
era uma flor especial
alguém muito amou.

 O seu perfume deixou,
levou com ela a felicidade
linda flor não mais voltou
recordada é com saudade!
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

"PELA NOITE DENTRO"

(IMAGEM GOOGLE)
No entoar de uma melodia!
era tanto o contentamento
de prazer uma moça gemia
no silêncio, pela noite dentro.

Na explosiva paixão do amor,
da tão alta, sentida, temperatura
com o corpo incendiado do calor
de quem a abraçava com ternura.

Dos lábios, dela, voou um beijo,
nas pétalas de uma flor pousou
navegando na loucura do desejo
de louco prazer, ela, desmaiou!
(Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

"NUM VASO, UMA FLOR"

De uma nuvem passageira,
caíram gotas de água
debaixo de uma laranjeira
 para ela, o poeta, olhava.

No céu desapareceu,
logo a seguir o sol brilhou
quando outra nuvem apareceu
gotas de água cair deixou.

O poeta continuava,
foi amor à primeira
apareceu uma gaiata
debaixo da laranjeira.

Juntos continuam a escrever
apaixonantes poemas de amor
muito felizes continuam a viver
têm, num vaso, uma linda flor!
(Eduardo Maria Nunes)

terça-feira, 29 de julho de 2014

"NÃO VI O POSTE"

(IMAGEM GOOGLE)
Eu cá, sou mesmo assim!
por que não sou diferente
seja com ou sem plim-plim
se quem se cala consente.

Quem vive certamente,
 por acaso não sou assim
vai cantando alegremente
não estará tão triste assim.

 Distraído, não vi o poste!
vi no céu as estrelas e a lua
quando de noite naquele rua
caminhava de sul para norte

De robe vestido à janela!
com os seus pensamentos
não vi a cor dos olhos dela
 bela moça de cabelos pretos.

Vi sorrirem os lábios seus,
 parado, fiquei olhando
não seriam afetos meus
que ela estaria desejando!

No robe o corpo embrulhado,
precisando, talvez, de afeto
por quem esperava ser abraçado
com vontade, eu ali tão perto.

Abraçado a corpo quente,
contente, imaginando, sim
durmo e sonho livremente
 acordado sonhos sem fim!
(Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 21 de julho de 2014

"SAPATOS DE VELUDO"

(IMAGEM GOOGLE)
Na vida, vida apressada!
como nuvem passageira
do que pena mais pesada
muitas vezes traiçoeira.

 Em alto mar a navegava,
soprava o vento sem pavor
a tempestade assustava
no barco o velejador.

Lá no Cabo Bojador!
soprava o vento forte
navegava o velejador
do Sul para o Norte.

Uma lufada de vento,
danificou o estandarte
amor falso sofrimento
fingimento falsidade.

Se houvesse contudo!
no mundo mais lealdade
nos pés sapatos de veludo
Paz,  amor e  felicidade!
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 16 de julho de 2014

"NUMA TARDE DE SOL QUENTE"

(IMAGEM GOOGLE)
Acariciado com amor e ternura!
 tão belo e tão desejado adormecido
 com beijos de prazer e de ternura
  corpo deitado na cama despido!

Na espuma da felicidade, nua!
 foi sim o seu belo corpo banhar
nas ondas calmas de ternura
numa linda noite de luar.

 Foi, feliz nessa aventura,
todas as noites a repete
deitada com a sua belezura
nua, na cama adormece!

 Caiu dos olhos de repente,
 no caminho empoeirado
uma lágrima transparente
numa tarde de sol quente
 sem nuvens no céu azulado!

 Nas curvas suavemente,
de um corpo a deslizar
satisfeita vive contente
 nas ondas do amor vogar!
(Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 14 de julho de 2014

"UM JARDIM"

Eu, sou como gosto de ser!
tudo reviro com jeitinho
com simples  palavras dizer
 gosto sim de amor e carinho.

No mundo, há tanta ilusão,
com muitas mentiras à mistura
 não tenciono magoar o coração
  numa desenxobida aventura.

Não sou mentiroso nem fingido,
diferente do que sou, não quero ser
não ando de ninguém escondido
praticar o mal isso não sei fazer.

Para cultivar lindas flores,
construí com carinho um jardim
floridas perfumam muitos amores
exalam neles perfume sem fim!
(Eduardo Maria Nunes)

sexta-feira, 4 de julho de 2014

"FOI SÓ UM SONHO"

(IMAGEM GOOGLE)
De manhã acordei!
num lindo sonho a voar
por acaso não a encontrei
triste deitada na cama chorar
com quem antes tinha sonhado
seus cabelos presos com uma fita
 pois era sim tão lindo encaracolado
de todas, ela era a moça mais bonita
que eu nunca dantes tinha beijado
de belo corpo e tão meiga, catita
 dei nela um beijo e um abraço
tão bela na cama adormecida
despido tinha o corpo dela
 bem perfumado como a flor
sentada na cadeira à janela
ansiosa esperando o amor
passei na rua em frente
para mim ela não olhou
se quem cala consente
 foi por isso que não falou!
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 2 de julho de 2014

"QUEM POR AMOR CHORA"

(IMAGEM GOOGLE)
Sem o jardineiro a flor murchou?
ressequida ficou sem o perfume
porque o vento para longe o levou
 mais não adianta fazer queixume!

Se o amor com ele o levou!..
como e onde estará ele agora
nem tudo ainda na vida acabou
volta, depressa, sem demora.

Quem por amor tanto chora,
é porque tanto a sua falta sente
a quem a felicidade não brota
vive sem ela tristemente!
(Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 30 de junho de 2014

"LÁGRIMAS DE DOR"

Para o amor verdadeiro!
foram apanhar uma flor
mais o poeta jardineiro
 Anda o poeta rimador...

Desfavorece a vontade,
por não ter sido realizado
no chão caído da felicidade 
 um beijo desperdiçado...

Quando o tentei apanhar,
ele, se desfez em lágrimas
por alguém no chão o deixar
 abandonado sem palavras.

   No lugar nasceu uma flor...
com as pétalas perfumadas
delas caírem lágrimas de dor
 por terem sido abandonadas!
(Eduardo Maria Nunes)

sábado, 28 de junho de 2014

"SEM FLORES, SERÁ O SEU FIM"

Jardim quase deserto!
onde estarão as flores
mais longe do que perto
doutrora floridas neste jardim
perfumando os seus amores
estarão desabrochadas sim.

Porque se ausentaram!
o motivo eu desconheço
saudades muitas deixaram
tudo de bom para elas desejo.

Assim está mais feioso...
com uma flor aqui outra acolá
já não é como dantes cheiroso
porque menos perfume há!

Venham, daí depressa,
já, perfumar este jardim
pois ele assim não sossega
sem flores será o seu fim!
(Eduardo Maria Nunes)

domingo, 15 de junho de 2014

"FLORES PARA VOCÊ!

Esqueçamos a tristeza!
os teus lindos olhos menina
viva a selecção portuguesa
a crise para lá da colina.

 Lindas flores fui colher!
para dar às minhas amigas
muito antes do sol nascer
agradeço as vossas visitas.

Caminhando pela vereda,
fui beber água fresca à fonte
a saudade não pára queda
forte ventania lá no monte!

Flores lindas encontrei,
todas elas bem perfumadas
 para os olhos das minhas amigas olhei
vi que todas elas estão apaixonadas!
(Eduardo Maria Nunes)

sexta-feira, 13 de junho de 2014

"BOM FIM DE SEMANA"

Alegria sem limites, no Brasil começou a copa!
por causa dela não deixem queimar o estrugido
divirtam-se a ver na verde relva pontapear a bola
tenham também um fim de semana bem divertido
com todas as flores bem perfumadas deste jardim
porque a vida é bela, melhor se vivida em liberdade
tudo o que é bom e a vida nunca deveriam ter fim
 viver com carinho e amor abraçados à felicidade.
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 5 de junho de 2014

"DOCES VERSOS"

 Satisfizeram todas as vontades!
à luz do candeeiro a petróleo
das suas flores tem saudades
com elas toda a noite divertido
nos bailaicos de Santo António
saltavam a fogueira do fogo ardido
logo que ouviam tocar o harmônio.

Já não sei mais como escrever,
de tanto bater nas mesmas teclas
tenho a ponta dos dedos a doer
gosto mais da ginjinha com elas.

Terei que mudar de teclado,
ou noutra direcção navegar
porque o barco no porto parado
 está lá só mesmo a enferrujar.

Elas sabem o bom mel fabricar.
por isso mesmo não dão prejuízo
 não se cansam de tanto trabalhar
diferentes de quem não tem juízo.

Doces versos, poemas bem escritos!
para com ele os barrar, se fosse apicultor
tirava doces favos de mel dos cortiços.
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 5 de março de 2014

"AUSENTE"

Contra a vontade não se insiste!
Sem flores não existe jardim
Sem alegria se vive triste
O que tem princípio terá fim...

Escrever mais do que já escrevi!
Agora continuar, não me apetece
Por um tempo fico ausente daqui
Ativa, a esperança permanece...
(Eduardo Maria Nunes)

sábado, 1 de março de 2014

"PRÉMIO DARDOS"

SOMBRÍA BELLEZA

Este prémio Dardos, encantador
Apaixonado pela fascinante paisagem
Chegou hoje, depois de longa viagem
Ao rima blog, eu te dou uma flor.

Vindo de muito longe aqui chegou.
Não sei se tudo isso, de você mereço
Perfumado de amizade, o mandou
Do mesmo modo amiga te agradeço!

Para mim. Neste jardim vai habitar.
Com o perfume de Cris Bo, enviado
Nas pétalas de um cravo veio pousar
Amiga Cris Bo,  o meu sincero obrigado!
(Eduardo Maria Nunes)

sábado, 22 de fevereiro de 2014

"O QUE É BOM SABE A POUCO"

Um fim de semana louco,
Na loucura bem divertida
O que é bom sabe a pouco
Encontrada na noite despida
 Cheia de frio perdida na sopé
Uma moça andava distraída
Nua sem saber porquê

Era belo o corpo dela,
A olhar para ele fiquei
Fui cair na esparrela
Preso nas arestas fiquei!

Não foi com maldade,
Ser apenas imaginação
 Momento de felicidade
Sem qualquer perturbação!

Com a felicidade é bom viver,
O que é bom nunca se esquece
Se transforma o desejo em prazer
Quando a loucura acontece!
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

"SONHOS PERDIDOS"

Sonhos perdidos,
Voaram com o vento
beijos esquecidos
Perdidos no tempo.

Do amor adormecido,
De acordar há esperanças
Um beijo dos lábios caído
Perfumado de lembranças.

Nas entranhas da terra,
Ressequida do calor
Saudades tantas tivera
 Desse não esquecido amor!
(Eduardo Maria Nunes)

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

"LÁGRIMA SEM VIDA"

Tristeza, paixão sem alegria,
Envolta na poeira da estrada
Na escuridão da noite perdida
Uma lágrima dos olhos libertada
Foi encontrada no chão caída.

Verde planta florida,
Linda, flor perfumada
Junto dela foi sepultada
Uma lágrima sem vida.

Partida sem regresso,
Triste, de luto vestida,
Mágoa, angústia, desespero
Desgosto, dor sem ferida!
(Eduardo Maria Nunes)

domingo, 9 de fevereiro de 2014

"O FOGO DA MALDADE"

O poeta imaginou, escreveu...
Versos de amor a voarem em liberdade
O sol, estrela brilhante no céu
Ilumina a terra de esperança e felicidade.

 Nascidas crescem as plantas.
Das sementes na terra semeadas
Vestidas de folhas verdes esperanças
Pelo fogo da maldade queimadas.

Soberba, tanto faz sofrer.
Por todo o lado em liberdade
Porque há tanta maldade
Ninguém a consegue deter!
(Eduardo Maria Nunes)

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

"JÁ SONHEI VOAR, MAS NÃO VOEI"

O sol, nos aquece mais no verão.
Todos os corpos precisam de calor
Humano de todos tem mais valor
Continuo a viajar na imaginação!

A África, vou e venho!
Sem sair de onde estou
Há muito tempo lá não vou
Tantas saudades, dela, tenho.

  Como nuvem voando no vento gelado,
Passa pelos ramos das árvores zumbindo
Em pensamentos estou em todo o lado
A sonhar, acordado ou dormindo!

Em tantas coisas a pensar,
Passam pela minha imaginação
Se todas as pudesse realizar
Sem esfalfar o meu coração.

Já sonhei voar, mas não voei,
Todavia, sem dar um trambolhão
Não a imaginar, fui África e voltei  
Pelo mar de barco, no ar de avião.
(Eduardo Maria Nunes)

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

"PRÉMIO AMIZADE"

http://gracitamensagens.blogspot.pt/
Os Valores de uma Amizade!
Penso que sejam incalculáveis
Assim como o amor e a felicidade
Nunca, no mundo, findáveis!

Este, prémio, mimo recebi,
 Com carinho, de amiga Gracita
No rima blog eu te dou uma flor, aqui
Vai ficar para toda a minha vida.

 Com versos te agradeço,
 Rimados bem à minha maneira
Porque pensas que eu mereço
Gracita, amiga verdadeira.

Perfumada uma flor,
Quem me dera te podar
Não te quero machucar
Gracira, tu és um amor!
(Eduardo Maria Nunes)

sábado, 25 de janeiro de 2014

"NAS PÉTALAS DE UMA ROSA"

Já dormi numa tarimba!
Versos escrevi numa ardósia
Transformei a prosa em rima
Nas pétalas de uma rosa!

Sobre os alicerces da paixão,
Uma casa flutuante sem lareira,
Construída na rua da imaginação
Voante numa nuvem passageira.

Outono frescas tardes.
No jardim flores perfumadas
Caem as folhas das árvores
Secas no chão amareladas,

Desta forma o imagino,
Algumas na terra misturadas
 Pelo vento forte sem destino
Outras para longe são levadas!
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

VIAGEM DE MOTO CHINHAMA - CAMACUPA"

Pequeno resumo da história da minha vida. Aconteceu, não é invenção minha. Estava eu numa pequena povoação chamada Chinhama, algures no distrito do Huambo, em Angola. Um dia  resolvi deslocar-me de moto a General Machado (Camacupa), não sei ao certo a distância, serão talvez, mais de duzentos quilómetros. O objectivo era e foi visitar umas pessoas amigas.  Até aqui tudo correu às mil maravilhas, melhor teria sido impossível. Finda a estadia-visita, chegou o dia de regressar  aonde tinha tido inicio a referida viagem. Pus-me, então, a caminho estrada de terra batida até Silva Porto-Gare, Kuito, onde tinha início a estrada alcatroada, tive um acidente. Cai da moto, bati com a cachimônia no chão duro, com os dentes trinquei, a língua, quase que ficava feita em duas, nada de muito grave. Deveriam ser umas onze horas. Tinha planeado mais minuto menos minuto, chegar à Bela Vista, por volta do meio dia, para almoçar. Da hora do acidente até à meia noite, hora em que acordei no hospital, não me lembro de nada. Ao acordar achei muito estranho aquele lugar, olhei para o relógio estavam os ponteiros sobre o número 12 (doze), não era meio dia, mas sim meia noite. Perguntei a um homem de bata branca (enfermeiro), o que estou eu aqui a fazer, tendo ele respondido, tiveste um acidente de moto, estás aqui no hospital de Silva Porto, no hospital perguntei eu! tive um acidente de moto, qual moto!  Pois sim, estou vivo, não estou morto, lembrei-me, então, a minha moto, não sabia onde a tinha deixado.  Lá por volta das nove horas, do dia seguinte ao do acidente, dirigi-me  ao médico de serviço para me dar alta, estou melhor, estou óptimo com a fuça amachucada, quero sair daqui, não estou aqui a fazer nada, disse eu. O médico me deu alta e me recomendou para não viajar de moto, assim o fiz por obediência. Tendo a mesma ficado à guarda da Polícia, que na altura do acidente a tinha levado para o posto. Fui de comboio até à Bela Vista, o resto do percurso de carro até à Chinhama. Passados alguns meses após o referido acidente, vendi a moto, uma Honda 175 CC, de cor preta.  Ainda hoje sonho com ela. Tenho outra, não da mesma marca,  de cor preta. Dizem que não há amor como o primeiro!

sábado, 11 de janeiro de 2014

"AGRADECIMENTO"

Prémio Sereno Amor!
Por Evanir oferecido
À Viagem o fui buscar
Nunca será esquecido
No rima blog eu te dou uma flor
Será, doravante, o seu lugar.

 Muitas felicidades, Evanir,
Prémio sereno amor, aqui fica bem
Quem mais amizades construir
Na vida mais alegria tem.

Fico contente também,
Não o faço por coragem
Sempre o faço por bem,
Quando visito a Viagem.

Evanir, o meu sincero obrigado,
Sei que foi oferecido com carinho
De tudo o que é mais belo enfeitado
 Te envio um abraço e um beijinho!
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

"A QUALQUER HORA"

Esta palavra saudade!
Duradoura a vida inteira
Sendo sempre a liberdade
A sua melhor companheira!

No jardim encontrei uma rosa!
Pela estrada da vida vou devagar
Não tenho pressa de ir embora
Muito menos pressa de chegar!

Se a saudade está em todo o lado.
Já com a liberdade assim não acontece
Ela tenta libertar quem está encarcerado 
Nem sempre entra onde lhe apetece!

A vontade, o desejo, o crer e o poder.
E outras tantas coisas pelo mundo fora
Porque as mágoas tanto fazem sofrer
 De noite ou de dia, a qualquer hora!
(Eduardo Maria Nunes)

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

" QUEM NÃO ZELA, NÃO AMA"

Minha maneira de pensar!
Excepto a guerra, tudo amo
Porque em vida posso amar
Só em vida no mundo ando
Morto a terra me transformar!

Se o mundo me deixar...
Sem poder pagar a renda
Por que não tenho outro lugar
 Mas, o digo sem contenda!

Não sei se mais alguém,
Como eu assim pensa
Quem nada em vida tem
Nem a morte o contenta!

Bem é preciso saber amar,
Se não sabe e não inventa
Por que não quer perturbar
Quando tudo o apoquenta!
(Eduardo Maria Nunes)

domingo, 5 de janeiro de 2014

"TROVISCO"

Tristezas e alegrias!..
Não serão todos iguais
Todos os dias, são dias
Só alguns são especiais!

Não sei onde os encontrar...
Já se passaram há algum tempo
Outros não sei quando irão chegar
Com esperança e fé, vou vivendo.

 Corre água barrenta na ribeira.
No campo verde nasce o trovisco
A vida é como nuvem passageira
Sem a gente se aperceber disso!
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

"MAIS VALE INVEJA QUE PENA"

O futuro me mete (medo!...
Neste mundo cheio de dor
Sem saber qual o segredo
Que anda perdido sem amor.

Mais vale inveja que pena.
Da felicidade perdida na rua
De quem nela não pensa
Tudo na mesma não continua
 Desprezá-la não compensa!

Se o pior acontecer,
Do que aquele que findou
Não continuarei a escrever
Com a tinta que sobrou!
(Eduardo Maria Nunes)

Oferecido por Cristi@ne

Image and video hosting by TinyPic"

Oferta de Sandra Veneziani

Image and video hosting by TinyPic"