quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

VIAGEM DE MOTO CHINHAMA - CAMACUPA"

Pequeno resumo da história da minha vida. Aconteceu, não é invenção minha. Estava eu numa pequena povoação chamada Chinhama, algures no distrito do Huambo, em Angola. Um dia  resolvi deslocar-me de moto a General Machado (Camacupa), não sei ao certo a distância, serão talvez, mais de duzentos quilómetros. O objectivo era e foi visitar umas pessoas amigas.  Até aqui tudo correu às mil maravilhas, melhor teria sido impossível. Finda a estadia-visita, chegou o dia de regressar  aonde tinha tido inicio a referida viagem. Pus-me, então, a caminho estrada de terra batida até Silva Porto-Gare, Kuito, onde tinha início a estrada alcatroada, tive um acidente. Cai da moto, bati com a cachimônia no chão duro, com os dentes trinquei, a língua, quase que ficava feita em duas, nada de muito grave. Deveriam ser umas onze horas. Tinha planeado mais minuto menos minuto, chegar à Bela Vista, por volta do meio dia, para almoçar. Da hora do acidente até à meia noite, hora em que acordei no hospital, não me lembro de nada. Ao acordar achei muito estranho aquele lugar, olhei para o relógio estavam os ponteiros sobre o número 12 (doze), não era meio dia, mas sim meia noite. Perguntei a um homem de bata branca (enfermeiro), o que estou eu aqui a fazer, tendo ele respondido, tiveste um acidente de moto, estás aqui no hospital de Silva Porto, no hospital perguntei eu! tive um acidente de moto, qual moto!  Pois sim, estou vivo, não estou morto, lembrei-me, então, a minha moto, não sabia onde a tinha deixado.  Lá por volta das nove horas, do dia seguinte ao do acidente, dirigi-me  ao médico de serviço para me dar alta, estou melhor, estou óptimo com a fuça amachucada, quero sair daqui, não estou aqui a fazer nada, disse eu. O médico me deu alta e me recomendou para não viajar de moto, assim o fiz por obediência. Tendo a mesma ficado à guarda da Polícia, que na altura do acidente a tinha levado para o posto. Fui de comboio até à Bela Vista, o resto do percurso de carro até à Chinhama. Passados alguns meses após o referido acidente, vendi a moto, uma Honda 175 CC, de cor preta.  Ainda hoje sonho com ela. Tenho outra, não da mesma marca,  de cor preta. Dizem que não há amor como o primeiro!

8 comentários:

  1. Dizem que sim...eu não concordo :)))
    Mas no que toca a motas talvez!
    Tudo bem consigo querido amigo?
    Passei para o visitar e avisar, para o caso de querer partilhar que amanhã às 13.30h publicarei a sua participação no Desafio Rostos da Diferença!
    Beijinhos e resto de bom dia!!!
    Maria

    ResponderEliminar
  2. Olá amigo Eduardo
    Dizem que o primeiro amor nunca é esquecido e pelo que vejo você o o eternizou no coração.
    Está tudo bem contigo meu querido amigo? Fiquei preocupada com o teu sumiço pois não é do seu feitio ficar tanto tempo sem passar na minha casa para um cafezinho. Quando puderes passe por lá para matarmos as saudades.
    Beijos com carinho e muitas saudades
    Gracita

    ResponderEliminar
  3. Uma grande aventura com a moto! E eu achei que nunca mais quererias outra,rs abração praiano,chica

    ResponderEliminar
  4. Olá querido amigo.

    Nossa que susto, fiquei apavorada com o que lhe aconteceu, por mais que já passou tudo e estas bem, mas fico impressionada mesmo se acidentando não ficaste escravo do medo em pilotar uma moto novamente.
    Eu concordo sim que o primeiro amor a gente não esquece para todas as coisas que nos faz bem e sentimos saudades.
    Legal a partilha e se cuide quando andar de moto viu?
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  5. Una aventura accidentada Eduardo!
    Pero los recuerdos y los deseos de continuar con ese viaje continúan.
    Nostalgia... bellas letras!
    Que tengas un buen descanso, besos.

    http://sombriabelleza.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  6. Cada amor é único, mas... gato escaldado tem medo de água fria Edu.
    Beijos

    ResponderEliminar
  7. Bom Dia Pardinho.
    Já deixei um comentário na postagem anterior .
    Quero de coração agradecer seu carinho que sempre lhe foi tão peculiar.
    Levei um susto em imaginar quanto tempo passou desde o dia que entrei acanhada no seu blog.
    O tempo passou e com ele a magia de novos conhecimentos que na verdade sinto - me saudoso de quando te conheci.
    Foi um tempo de muitas alegrias naquela época os blogs era muito mais visitados .
    Hoje com o tal de Face foi distanciando amigos ou pessoas sem muita importância que fizeram parte das nossas vidas no blog.
    Eu tenho esse tal de Face entro ali uma vez ou outra para ser franca nunca gostei de Face nem de Orkut.
    Gosto de um blog onde podemos expressar nossos sentimentos na verdade é uma grande magia.
    Padrinho não esquece de pegar o mimo que deixei na postagem.
    Um feliz e abençoado final de semana beijos escondidos no seu coração.
    Sua afilhada,Evanir.

    ResponderEliminar
  8. Eu não me apego a nada, agora que tenho dois motoristas de carro e moto, eu só renovo se precisar numa emergência.
    Você disse bem : o primeiro amor nunca se esquece, então pode ser o último namorado ou uma outra moto do ano.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar

Oferecido por Cristi@ne

Image and video hosting by TinyPic"

Oferta de Sandra Veneziani

Image and video hosting by TinyPic"