segunda-feira, 21 de julho de 2014

"SAPATOS DE VELUDO"

(IMAGEM GOOGLE)
Na vida, vida apressada!
como nuvem passageira
do que pena mais pesada
muitas vezes traiçoeira.

 Em alto mar a navegava,
soprava o vento sem pavor
a tempestade assustava
no barco o velejador.

Lá no Cabo Bojador!
soprava o vento forte
navegava o velejador
do Sul para o Norte.

Uma lufada de vento,
danificou o estandarte
amor falso sofrimento
fingimento falsidade.

Se houvesse contudo!
no mundo mais lealdade
nos pés sapatos de veludo
Paz,  amor e  felicidade!
(Eduardo Maria Nunes)

5 comentários:

  1. Nada de amor falso, nem fingimento nem sofrimento, daremos chances para lealdade a paz e a felicidade, mesmo na vida tao apressada, nao deixaremos de viver com amor.
    passando para lhe desejar uma boa tarde amigo, beijos

    ResponderEliminar
  2. Caro Eduardo

    Para o poeta, a lealdade é sempre peça importante, desde tempos imemoriais, mas para cá do Cabo Bojador, a deslealdade ficou sempre nos anais.
    Quero deixar parabéns, por andar observando o rimar de dois em dois versos. Dizem os entendidos, ser difícil.
    Abraços

    ResponderEliminar
  3. Lindo Poema vim aqui encontrar
    Numa Vida apressada
    Sabe muito bem ter bons sapatos
    Para Nela caminhar....

    Desculpa, mas isto de "rimar" não é para todos.
    :))

    ResponderEliminar
  4. É difícil um navegar seguro no campo dos relacionamentos. Ainda bem que isso não nos impede de ser leais.
    (Obrigada pelos carinhosos versos de apoio). Bjs.

    ResponderEliminar

Oferecido por Cristi@ne

Image and video hosting by TinyPic"

Oferta de Sandra Veneziani

Image and video hosting by TinyPic"