quinta-feira, 17 de outubro de 2013

"SOBERBO"

Cai a chuva no outeiro!
A nadar, lá se foi o carcanhol
Corre a água turva no ribeiro
As nuvens escondem o sol.

Animação e paz na floresta
 De mansinho o vento sopra 
Passa por qualquer fresta
Sem a alguém pedir licença
Para entrar nada o estorva
Quando perde a paciência.

 Soberbo a remexer
Perde o tino perturbado
Quando passa desvairado
Tudo faz estremecer.

Pela ravina deslizando
 Foi cair dentro da valeta
 Refrígério procurando
Ficou entalado na greta!
(Eduardo Maria Nunes)

9 comentários:

  1. Que animação maravilhosa na floresta!
    Cada dia você me surpreende com seu poetar amigo Edu.

    bjs
    Carmen Lúcia-mamymilu

    ResponderEliminar
  2. Ficou linda,adorei!!!Bem animadinha e alegre! abração,chica

    ResponderEliminar
  3. Olá Edu,
    Que delicia de algazarra, vento e floresta numa só sintonia...Gostoso e leve de ler. Adorei!
    Obrigada meu amigo pelas delicadas visitas versadas lá no meu recanto.Seus comentários alegram meu coração.
    Beijos com carinho
    Marilene

    ResponderEliminar
  4. Bom dia Edu
    Suas poesias sempre falam da natureza.
    Que delícia!
    Gostaria de morar dentro de uma floresta para me encantar com o canto do Uirapuru., Mas se os bichos ficarem com fome, eu viro um banquete.kkk
    Adorei sua poesia rimadinha.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  5. Caro Eduardo

    Li e reli e mesmo de modo suave, o poema é muito interessante de seguir. Mas subentende-se que é de intervenção.
    Parabéns pelo modo como está expresso.
    Deixo em grande abraço

    ResponderEliminar
  6. Olá meu indiozinho !
    Cá estou eu novamente lendo seus lindos poemas.Maravilha,palavras que entontecem a alma,sensibilizam a mente dentro da natureza
    Abraço da amiga maruja!

    ResponderEliminar
  7. Edumanes, chega de chuva e ventania:

    De vento não quero saber,
    o estrago foi para valer;
    Caíram galhos nas calçadas,
    os rios subiram em braçadas.

    Um abraço, Yayá.

    ResponderEliminar
  8. O carcanhol não pode ser outra coisa?

    Rimas poéticas e na natureza.

    Lindo!

    Beijos

    ResponderEliminar
  9. Bom dia meu amigo poetinha de ouro! Parabéns portão bela expressão dada a esse novo poema.Amigo querido só hoje pude vir aqui para agradecer sua visita no meu estrelas.As costelinhas quebradas ainda dói um pouco se ficar me agitando.rsrsrsrsrsrsrs ai como é ruim ficar veínha! Vim te desejar um radiante fim de semana muito abençoado junto aos seus. Fiz um post bem interessante sobre blogs no estrelinhas. Meu menino poeta Deus te abençoe hoje e sempre,e saiba que sou muito feliz em ter você como amigo. beijos de luz na sua bela alma.

    ResponderEliminar

Oferecido por Cristi@ne

Image and video hosting by TinyPic"

Oferta de Sandra Veneziani

Image and video hosting by TinyPic"