sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

"PRÉMIO AMIZADE"

http://gracitamensagens.blogspot.pt/
Os Valores de uma Amizade!
Penso que sejam incalculáveis
Assim como o amor e a felicidade
Nunca, no mundo, findáveis!

Este, prémio, mimo recebi,
 Com carinho, de amiga Gracita
No rima blog eu te dou uma flor, aqui
Vai ficar para toda a minha vida.

 Com versos te agradeço,
 Rimados bem à minha maneira
Porque pensas que eu mereço
Gracita, amiga verdadeira.

Perfumada uma flor,
Quem me dera te podar
Não te quero machucar
Gracira, tu és um amor!
(Eduardo Maria Nunes)

sábado, 25 de janeiro de 2014

"NAS PÉTALAS DE UMA ROSA"

Já dormi numa tarimba!
Versos escrevi numa ardósia
Transformei a prosa em rima
Nas pétalas de uma rosa!

Sobre os alicerces da paixão,
Uma casa flutuante sem lareira,
Construída na rua da imaginação
Voante numa nuvem passageira.

Outono frescas tardes.
No jardim flores perfumadas
Caem as folhas das árvores
Secas no chão amareladas,

Desta forma o imagino,
Algumas na terra misturadas
 Pelo vento forte sem destino
Outras para longe são levadas!
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

VIAGEM DE MOTO CHINHAMA - CAMACUPA"

Pequeno resumo da história da minha vida. Aconteceu, não é invenção minha. Estava eu numa pequena povoação chamada Chinhama, algures no distrito do Huambo, em Angola. Um dia  resolvi deslocar-me de moto a General Machado (Camacupa), não sei ao certo a distância, serão talvez, mais de duzentos quilómetros. O objectivo era e foi visitar umas pessoas amigas.  Até aqui tudo correu às mil maravilhas, melhor teria sido impossível. Finda a estadia-visita, chegou o dia de regressar  aonde tinha tido inicio a referida viagem. Pus-me, então, a caminho estrada de terra batida até Silva Porto-Gare, Kuito, onde tinha início a estrada alcatroada, tive um acidente. Cai da moto, bati com a cachimônia no chão duro, com os dentes trinquei, a língua, quase que ficava feita em duas, nada de muito grave. Deveriam ser umas onze horas. Tinha planeado mais minuto menos minuto, chegar à Bela Vista, por volta do meio dia, para almoçar. Da hora do acidente até à meia noite, hora em que acordei no hospital, não me lembro de nada. Ao acordar achei muito estranho aquele lugar, olhei para o relógio estavam os ponteiros sobre o número 12 (doze), não era meio dia, mas sim meia noite. Perguntei a um homem de bata branca (enfermeiro), o que estou eu aqui a fazer, tendo ele respondido, tiveste um acidente de moto, estás aqui no hospital de Silva Porto, no hospital perguntei eu! tive um acidente de moto, qual moto!  Pois sim, estou vivo, não estou morto, lembrei-me, então, a minha moto, não sabia onde a tinha deixado.  Lá por volta das nove horas, do dia seguinte ao do acidente, dirigi-me  ao médico de serviço para me dar alta, estou melhor, estou óptimo com a fuça amachucada, quero sair daqui, não estou aqui a fazer nada, disse eu. O médico me deu alta e me recomendou para não viajar de moto, assim o fiz por obediência. Tendo a mesma ficado à guarda da Polícia, que na altura do acidente a tinha levado para o posto. Fui de comboio até à Bela Vista, o resto do percurso de carro até à Chinhama. Passados alguns meses após o referido acidente, vendi a moto, uma Honda 175 CC, de cor preta.  Ainda hoje sonho com ela. Tenho outra, não da mesma marca,  de cor preta. Dizem que não há amor como o primeiro!

sábado, 11 de janeiro de 2014

"AGRADECIMENTO"

Prémio Sereno Amor!
Por Evanir oferecido
À Viagem o fui buscar
Nunca será esquecido
No rima blog eu te dou uma flor
Será, doravante, o seu lugar.

 Muitas felicidades, Evanir,
Prémio sereno amor, aqui fica bem
Quem mais amizades construir
Na vida mais alegria tem.

Fico contente também,
Não o faço por coragem
Sempre o faço por bem,
Quando visito a Viagem.

Evanir, o meu sincero obrigado,
Sei que foi oferecido com carinho
De tudo o que é mais belo enfeitado
 Te envio um abraço e um beijinho!
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

"A QUALQUER HORA"

Esta palavra saudade!
Duradoura a vida inteira
Sendo sempre a liberdade
A sua melhor companheira!

No jardim encontrei uma rosa!
Pela estrada da vida vou devagar
Não tenho pressa de ir embora
Muito menos pressa de chegar!

Se a saudade está em todo o lado.
Já com a liberdade assim não acontece
Ela tenta libertar quem está encarcerado 
Nem sempre entra onde lhe apetece!

A vontade, o desejo, o crer e o poder.
E outras tantas coisas pelo mundo fora
Porque as mágoas tanto fazem sofrer
 De noite ou de dia, a qualquer hora!
(Eduardo Maria Nunes)

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

" QUEM NÃO ZELA, NÃO AMA"

Minha maneira de pensar!
Excepto a guerra, tudo amo
Porque em vida posso amar
Só em vida no mundo ando
Morto a terra me transformar!

Se o mundo me deixar...
Sem poder pagar a renda
Por que não tenho outro lugar
 Mas, o digo sem contenda!

Não sei se mais alguém,
Como eu assim pensa
Quem nada em vida tem
Nem a morte o contenta!

Bem é preciso saber amar,
Se não sabe e não inventa
Por que não quer perturbar
Quando tudo o apoquenta!
(Eduardo Maria Nunes)

domingo, 5 de janeiro de 2014

"TROVISCO"

Tristezas e alegrias!..
Não serão todos iguais
Todos os dias, são dias
Só alguns são especiais!

Não sei onde os encontrar...
Já se passaram há algum tempo
Outros não sei quando irão chegar
Com esperança e fé, vou vivendo.

 Corre água barrenta na ribeira.
No campo verde nasce o trovisco
A vida é como nuvem passageira
Sem a gente se aperceber disso!
(Eduardo Maria Nunes)

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

"MAIS VALE INVEJA QUE PENA"

O futuro me mete (medo!...
Neste mundo cheio de dor
Sem saber qual o segredo
Que anda perdido sem amor.

Mais vale inveja que pena.
Da felicidade perdida na rua
De quem nela não pensa
Tudo na mesma não continua
 Desprezá-la não compensa!

Se o pior acontecer,
Do que aquele que findou
Não continuarei a escrever
Com a tinta que sobrou!
(Eduardo Maria Nunes)

Oferecido por Cristi@ne

Image and video hosting by TinyPic"

Oferta de Sandra Veneziani

Image and video hosting by TinyPic"